Melhor visualizado com Microsoft® Internet Explorer quinta-feira, 25 de abril de 2019 


Seja bem vindo! Navegue no site pelo MENU abaixo!!!
 





















CURIOSIDADES DO MUNDO CANINO

  1. O cão e sua Visão.
  2. O cão e sua Audição.
  3. O cão e seu Tato.
  4. O cão e seu Olfato.
  5. O cão e seu Paladar.
  6. Dicas para evitar uma mordida.
  7. Posse responsável.
  8. Para que server o Pedigree?
  9. Como denunciar maus-tratos?
  10. Teste de Campbell e Teste de Volhard.
  11. O Cio e a Gestação.
  12. Índole, Temperamento e Caráter.
  13. Idade do Cão X Idade do Homem.
  14. O cão de GUARDA.
  15. O cão e os Fogos de Artifício.
  16. Cuidados em tempo de muito calor.

O CÃO E SUA VISÃO

Todo cão precisa aprender a utilizar seus olhos. Tem que aprender o aspecto de sua mãe, de seu dono e assim por diante. Se for mordido por um cão de cor marrom, provavelmente terá medo de qualquer cão marrom, até que ele aprenda a distinguir os diversos cães marrom que ele vê. Assim, podemos dizer que o cão associa muitos agrados e desagrados por meio do sentido da visão. Por muito tempo acreditou-se que o cão enxerga somente em preto e branco. No fundo do olho do cão existe uma membrana chamada retina que apresenta dois tipos de foto-receptores: os cones e os bastonetes. Os bastonetes transmitem as sensações de claridade e os cones, além dessas sensações, também transmitem as cores, assim, os cães enxergam todas as cores no espectro entre violeta e vermelho, porém não diferenciam suas tonalidades, ou seja, as enxergam num só tom. Por exemplo, os cães não conseguem distinguir bem as cores verde e vermelho, porém distingue bem o verde e o azul. Bolinhas na cor azul são bem mais fáceis de serem localizadas num gramado do que as de cor vermelha. Os cães apresentam uma melhor visão diurna, porém após 40 minutos em ambiente escuro, a retina se ajusta à quantidade de luz no ambiente permitindo assim uma boa visão noturna.
Início da página




O CÃO E SUA AUDIÇÃO

O cão consegue perceber vibrações sonoras entre 10.000 e 40.000 hertz, o ser humano entre 16.000 e 20.000 hertz. Assim, o cão percebe sons que nós, humanos, não percebemos: os infra-sons e os ultra-sons. Em relação à intensidade, um homem pode perceber um som leve a 4 metros de distância enquanto um cão percebe o mesmo som a 25 metros de distância e o localiza com precisão. Podemos afirmar que o volume e o tom de voz usados durante o adestramento são de vital importância para o sucesso.
Início da página


O CÃO E SEU TATO

O tato é o menos importante dos sentidos para o cão. Tendo os sentidos da visão e audição extremamente desenvolvidos e o olfato muito melhor do que qualquer outro animal, o tato poderia ser desprezado. No adestramento, o tato é utilizado para a premiação através da carícia. Muito cuidado com choques pois o cão sente o choque mais forte do que o ser humano, provavelmente por ter mais sal no sangue do que nós.
Início da página


O CÃO E SEU OLFATO

Sabe-se que um cão pode detectar rastros de certos odores e que sua capacidade olfativa é muito superior à do ser humano. Algumas raças têm o sentido do olfato mais desenvolvido que outras. O mundo para o cão é composto de infinitos odores e ele é capaz de diferenciar cada um deles. O nariz do homem tem uma área de aproximadamente 4 cm² de células olfativas enquanto um cão da raça Pastor Alemão tem uma área de 50 cm². No homem encontramos cerca de 5 milhões de células olfativas, já num cão da raça Basset Hound encontramos cerca de 125 milhões de células olfativas e num Pastor Alemão cerca de 200 milhões, ou seja, 40 vezes mais que no ser humano.
Início da página


O CÃO E SEU PALADAR

O paladar (gustação) para o cão está ligado mais ao sentido do olfato do que ao gosto do alimento. Por esse motivo, o cão é um dos animais mais fáceis de se envenenar, se a substância tóxica não tiver cheiro, o cão poderá ingerí-la independentemente do gosto que tenha. Muitos donos tentam evitar que o cão roa algum móvel da casa usando pimenta e relatam que nada adiantou! Nesse caso, recomendamos a utilização de repelentes específicos para a utilização com cães!
Início da página




DICAS PARA EVITAR UMA MORDIDA

  • Não perturbe um cão que estiver dormindo, comendo ou cuidando de seus filhotes;
  • Sempre pergunte ao dono se você pode acariciar o cão. Se ele permitir, deixe primeiro o cão cheirar as costas de sua mão fechada então o acaricie;
  • Jamais deixe recém-nascidos ou bebês sozinhos com um cão;
  • Para evitar confronto com um cão de rua, afaste-se devagar e silenciosamente, jamais o encare;
  • Fique atento aos sinais de postura que sugerem ataque iminente: cabeça abaixada, olhar fixo, pêlo iriçado. Um rabo abanando pode ser sinal de que o cão está exitado pela possibilidade de luta e que pode atacar;
  • Se você se defrontrar com um cão agressivo, mantenha as mãos imóveis ao longo do corpo, jamais as agite para o alto;
  • Se for atacado, não corra nem grite. Permaneça imóvel com as mãos ao longo do corpo ou juntas embaixo do queixo;
  • Não fite o cão nem fale com ele;
  • Se for derrubado, encolha-se todo e cubra as orelhas com as mãos.

POSSE RESPONSÁVEL

Para ser um proprietário responsável de um cão, basta observar alguns cuidados para que os animais tenham uma vida saudável, segura e feliz:
  • Antes de adquirir um animal, tenha em mente que o tempo de vida média é de 12 anos. Todos da família deverão estar de acordo com a aquisição, certifique-se que terão os recursos necessários para mantê-lo e também, verifique quem cuidará do animal no período de férias ou durante feriados prolongados;
  • Procure adotar animais de abrigos públicos ou privados, vacinados e castrados, em vez de comprar por impulso;
  • Informe-se sobre as características e necessidades da raça escolhida - tamanho, peculiaridades, espaço físico necessário, etc;
  • Mantenha o seu animal sempre dentro de sua casa, em pátio ou jardim cercados, jamais solto na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, sempre utilizando coleira/guia e conduzido por quem possa conter o animal. Verifique a lei de utilização de focinheira vigente em sua cidade;
  • Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas, vermífugo e leve-o regularmente ao Médico Veterinário. Dê banho, escove e exercite-o regularmente;
  • Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele;
  • Eduque o animal, se necessário por meio de adestramento. Escolha um profissional que respeite as características dele e trabalhe com a metodologia do reforço positivo (não violento);
  • Recolha e jogue os dejetos em local apropriado;
  • Identifique o animal com plaqueta presa à coleira, contendo o nome do animal, o nome do proprietário e o telefone para contato. Também é recomendável um identificação permanente, como o microchip;
  • Evite as crias indesejadas de cães. Castre os machos e as fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações.













PARA QUE SERVER O PEDIGREE

Pedigree é o nome dado ao documento que contém a Árvore Genealógica de um animal, seus pais, avós e bisavós. É a única garantia de que o animal seja de raça pura e é reconhecido internacionalmente. Um cão sem Pedigree é um cão sem garantia alguma de procedência, temperamento ou até mesmo pode ter algum defeito que impossibilitou o criador de obter seu registro. Se a ninhada for registrada, você tem direito ao Pedigree do filhote onde deverão constar seus títulos. Através do Pedigree você poderá saber se o filhote descende de campeões, qual a linha de sangue e criação, etc. Ao acasalar um cão, consulte o Pedigree, pois será através dele que se poderá evitar uma consanguinidade indesejada.
No Pedigree estarão o Nome do Criador, do Canil e de todos os cães que contribuiram para a criação do seu filhote. É o Pedigree que deverá ser usado em casos de problemas que o comprador tiver com o seu filhote. O Pedigree também é utilizado hoje em dia para comprovar a propriedade do cão, o que antigamente era cumprida pelas tarjetas.
Em Curitiba, o procedimento para obtenção do documento para os cachorros é feito pelo Kennel Clube da Grande Curitiba (KCGC), filiado à Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), responsável pela definição de regras sobre a criação e registro de cães de raça. O procedimento para a obtenção do documento demora cerca de 40 dias para ser concluído, pois o protocolo aberto em Curitiba segue para a sede da CBKC, no Rio de Janeiro, para que o animal seja registrado. É o criador que dá o primeiro passo para a obtenção do pedigree e fornece o documento ao novo dono no momento da venda do animal. Para ter direito a fazer o registro é preciso ter um canil registrado ao kennel clube local. O custo aproximado para obtenção do documento em Curitiba gira em torno de R$ 50,00 (fonte: jornal Gazeta do Povo de 03/12/2011).
Início da página


COMO DENUNCIAR MAUS-TRATOS

Lei: Abandono e maus-tratos são crimes.

Caso você veja ou saiba de maus-tratos (exemplo: envenenamento de animal, manter o animal em lugar anti-higiênico, maltratar o animal, utilizar este animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse, agressão física a um animal indefeso, abandono de animais, não procurar um médico veterinário se o animal adoecer, etc) vá à delegacia mais próxima para lavrar boletim de ocorrência ou se preferir, compareça ao fórum para orientar-se com o Promotor de Justiça.

A DENÚNCIA DE MAUS-TRATOS É LEGITIMADA PELO ART. 32 DA LEI FEDERAL NR 9.605 DE 1998 (Lei de Crimes Ambientais)

Leve com você uma cópia do número da lei (no caso a 9.605/98) e do artigo 32, porque em geral a autoridade policial nem tem conhecimento dessa lei. Leve também o artigo 319 do Código Penal (retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa da Lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal).
Assim que o Policial ou Escrivão ouvir seu relato sobre o crime, a ele cumpre instaurar inquérito policial. Se ele se negar a fazê-lo sob qualquer pretexto, lembre-o que ele pode ser responsabilizado por crime de prevaricação, previsto no art. 319 do Código Penal. Faça valer seus direitos, exija falar com o Delegado que tem o dever de lhe atender e de fazer cumprir a lei.
Verifique o texto completo da lei no endereço http://www.planalto.gov.br
"Não importa se os animais são capazes ou não de pensar. O que importa é que são capazes de sofrer".
Jeremy Benthan

Início da página








TESTE DE CAMPBELL E TESTE DE VOLHARD

É muito comum que as pessoas escolham os seus cães pela aparência, ou seja, quanto mais bonito o filhote, mais atraente ele parece. Porém, é extremamente importante que levemos em consideração que cada animal tem seu temperamento próprio. Dentro da mesma ninhada, cada filhote terá e será um indivíduo único. O modo como o cão irá demonstrar carinho e afeto e também o nível de atividade que apresentará deverão estar em sintonia com o novo ambiente onde viverá o animal.
Duas das formas que existem para determinarmos o comportamento futuro de um cão são: Teste de Campbell e Teste de Volhard, os quais se propõem a analisar o comportamento do filhote em vários aspectos. Esses testes são amplamente utilizados, inclusive por entidades de treinamento de cães-guias de cegos.
Veja aqui o Teste de Campbell e o Teste de Volhard.
Início da página


O CIO E A GESTAÇÃO

Cio é o apetite sexual da cadela, sua duração é em média de 3 semanas. A partir do 10º dia a cadela está pronta para receber o acasalamento. A partir do 10º dia para o escorrimento de sangue e os óvulos estão prontos para receber o espermatozóide e posterior fecundação, sendo que esse período vai do 10º ao 15º do cio. Uma cadela pode entrar no cio a partir de 9 meses de idade, porém, não é aconselhada a gestação no 1º cio pois o sistema reprodutor ainda não está completamente desenvolvido.
Gestação é o período de desenvolvimento do embrião no útero da cadela até o nascimento do filhote. A duração é em média de 60 dias, podendo antecipar ou prolongar esse período, porém, nunca mais de 63 dias nem menos de 57 dias.
Início da página


ÍNDOLE, TEMPERAMENTO E CARÁTER

Índole é o conjunto de qualidade natas, não mutável, manifestando-se através de atitudes em atividades espontâneas.
Temperamento é adquirido e se estrutura à medida em que o animal inicia seus contatos com o ambiente externo. É influenciado pelo ambiente porém é educável.
Caráter é a soma da índole (imutável) com o temperamento (adquirido). Isto significa que após o cão estar com o caráter formado já na fase adulta, a parte que corresponde ao temperamento pode ser trabalhada (com restrições). Por isso, mesmo um cão mais velho, nunca deixa de aprender.
Início da página


IDADE DO CÃO X IDADE DO HOMEM

As pessoas gostam de fazer um comparativo entre a idade de seu cãozinho e a correspondente idade de uma pessoa. Na tabela abaixo, temos uma ideia dessa comparação, porém, ressaltando sempre que essas informações não possuem embasamento científico.


Idade canina Idade correspondente ao homem
  Porte do cão
  Pequeno Médio Grande Gigante
6 meses 17 anos 8 anos 6 anos 8 anos
1 ano 22 anos 12 anos 8 anos 12 anos
1 ano e 6 meses 25 anos 20 anos 12 anos 16 anos
2 anos 27 anos 23 anos 16 anos 22 anos
4 anos 29 anos 39 anos 22 anos 40 anos
6 anos 36 anos 51 anos 40 anos 55 anos
8 anos 46 anos 63 anos 55 anos 75 anos
10 anos 55 anos 75 anos 75 anos 94 anos
12 anos 62 anos 85 anos 94 anos  
14 anos 68 anos 95 anos    
16 anos 76 anos      
18 anos 87 anos      
20 anos 99 anos      

Início da página























O CÃO DE GUARDA

Quase todo cão serve para fazer GUARDA e quase nenhum ladrão vai checar se o cão morde ou não. O treinamento de guarda deve ser feito por profissionais especializados, porém, exige tempo e dinheiro. Lembre-se, um bom cão de guarda é aquele que evita a ação de um meliante e não um cão que "ataca" por qualquer motivo.
Aqui nesse tópico, falamos sobre os cães de guarda caseiros, aqueles que podemos treinar em casa.
O ideal é que o cão tenha muita disposição para atividade física, incluindo jogos e brincadeiras, não seja impulsivo e se adapte bem a mudanças de ambiente ou clima. É aconselhável que o cão de guarda tenha um nome só e aprenda a atender prontamente quando chamado por esse nome. Chame-o pelo nome e dê-lhe uma recompensa e elogio quando ele atender, até que ele aprenda que deve vir na hora quando chamado pelo nome ou pelo comando para VIR.
O cão pode ser treinado com qualquer idade, mas quanto mais jovem ele for, melhor. Os ensinamentos de guarda não devem se chocar com outros: por exemplo, se ele já for adulto e foi ensinado a não pular nas pessoas, será mais difícil (embora não impossível) ensiná-lo a pular para cima de pessoas estranhas.
Todo cão deve ser muito bem socializado, mais ainda um cão de guarda, que precisa obedecer instantaneamente a todos os comandos básicos ("vem!", "junto", "pega!", "quieto", "é amigo" etc.) do dono, familiares e treinador. Somente deve obedecer a estas pessoas, não a estranhos e muito menos invasores, de quem ele não deve aceitar nada, nem comandos nem "petiscos" que podem ser perigosos ou letais.
O incentivo sempre deve ser positivo e não negativo, ou seja, o cão deve ser elogiado quando acerta e não castigado quando erra ou demora a aprender (isso pode torná-lo indevidamente agressivo). O cão deve ser treinado para reagir a pessoas estranhas e, ao mesmo tempo, ser gentil e boa companhia com as pessoas e bichos de casa. Também deve receber a mesma atenção e carinho de um cão de companhia.
Treinar cães para guarda não é difícil ... exige tempo — umas duas semanas para obediência, mais dois a três meses para treinamento de guarda — e paciência.
O cão deve latir e dirigir-se ao dono quando perceber algo inusitado ou uma pessoa estranha e latir quando um estranho se aproxima. Se uma pessoa estranha se aproximar, deixe o cão latir até você mandá-lo parar; se for pessoa amiga, dê o comando de "é amigo!" ou similar para que ele pare de latir, não se esquecendo de recompensá-lo quando ele obedecer.
Cães têm raciocínio bem mais simples que humanos e se foram treinados para reagir a pessoas estranhas, atacarão mesmo. Eles não sabem se as pessoas estranhas são ou não velhas amigas do dono ou se são familiares próximos: são pessoas estranhas dentro do bando que o cão vive.
Cães de guarda são treinados mais para parar de atacar do que para atacar. Deve também ser treinado, com o comando de "não!", para evitar avançar agressivamente em outros bichos da casa, inclusive gatos, nem sucumbir à tentação de fêmeas no cio. Outro detalhe é familiarizar o cão com as fronteiras do território — casa, chácara, fazenda, o que for.
O cão deve ser ameaçador para os intrusos e não para toda e qualquer coisa ou pessoa. O bicho deve ser socializado de forma a atacar por instinto, não por "medo de tudo". Se seu cão for naturalmente bravo, não se esqueça de colocar no muro ou portão uma placa de "cuidado, cão bravo" ou similar.
Cães de todas as raças podem ser treinados para guarda. O que pode variar é o temperamento de cada um. Evidentemente um cão de porte pequeno, um Pinscher por exemplo, não vai causar mal a estranhos, porém, podem ser ótimos cães de alerta.
Não se esqueçam de dar ao cão de guarda mais atenção e carinho que para um "simples" cão de companhia. Boas recompensas são bem vindas na forma de boa ração, bons brinquedos, bons passeios e bom carinho.
Se guardas são um "mal necessário" de nossa sociedade desigual e violenta, cães de guarda estão LONGE DE SER UM MAL.

Início da página


O CÃO E OS FOGOS DE ARTIFÍCIO

Muitos perguntam sobre o porquê de uns cães serem mais sensíveis do que outros quando falamos sobre fogos de artifício. Essa diferença se dá por alguns fatores, sendo alguns deles a sensibilidade ao som, cães pouco confiantes, a dessensibilização feita no decorrer dos dias com o som dos fogos, correção errada do comportamento do cão quando ele reage aos fogos, a mudança de comportamento dos donos ao tentarem proteger os seus cães, e por aí afora.
Então, pensando no bem estar dos nossos amigos caninos, abaixo seguem alguma dicas para minimizar o desconforto dos cães. Sempre lembrando que não descartamos em hipótese alguma uma consulta prévia ao seu Médico Veterinário de confiança.

  • Associe o som dos fogos de artifício com algo que o seu cão goste, como petiscos, carinho, brinquedo favorito, etc. Mas, somente ofereça esses mimos caso ele não lata e não fique acoado. Assim, vamos tornar o barulho dos fogos = coisa boa;
  • Baixe ou grave sons de fogos e coloque para seu cão ouvir algumas vezes durante o dia. Inicie com o volume mais baixo e vá aumentando gradativamente à medida que seu cão não mais reage negativamente aos sons. Se o cão demonstrar sinais de medo com o aumento do volume, baixe o som até que ele se sinta confortável novamente;
  • NÃO MUDE O SEU COMPORTAMENTO, ou seja, jamais pegue o cão no colo, não tente minimizar o desconforto falando com o cão, não dê carinho nessa hora. Lembre que carinho ou contato significa REFORÇO POSITIVO, ou seja, ao invés de ajudar o seu cão você estará INCENTIVANDO que tenha medo dos fogos;
  • Tente você mesmo não reagir aos fogos, antes, durante ou depois. Sua reação desencadeando um bom comportamento ou um mal comportamento, sua linguagem corporal diz para o cão se ele tem que ficar ou não com medo dos fogos;
  • Não force seu cão a nada. Se ele quiser se esconder, deixe. Não force o cão a fazer algo que não queira pois isso poderá tirá-lo da zona de conforto e gerar uma reação agressiva;
  • Não deixe seu cão acorrentado, não o deixe sozinho, não o abrace, tranque portões, portas e janelas para evitar fugas por causa do medo. Não esqueça de sempre ter uma plaquinha de identificação para poder achá-lo caso a fuga ocorra;
  • Você pode tentar o TRUQUE DO PANO, o método Tellington Touch. O método consiste em amarrar seu cachorro com uma faixa para estimular a circulação sanguínea nas regiões extremas do corpo visando a redução da irritabilidade. É um teste a se fazer pois pode não funcionar para qualquer cão. Veja nas imagens ao lado como é a amarração;
  • Escolha o cômodo da casa que o cão mais gosta, torne esse lugar o "porto seguro" para seu cão. Coloque a casinha (ou caminha) dele embaixo de uma mesinha, pia, armário, cama, ao lado do sofá, etc. Isso imitará uma toca e ele se sentirá mais protegido. ;
  • Utilize maços de algodão para tapar os ouvidos do cão. Isso vai abafar o som dos fogos e minimizar o desconforto do seu cão. Tome cuidado e utilize bastante algodão;
  • Se tiver mais de um cão, não os deixem sozinhos. O estresse pode causar brigas e ferimentos;
  • Se quiser, verifique com o seu Médico Veterinário de confiança a prescrição de algum tipo de calmante, homeopatia ou florais para diminuir a ansiedade do seu cão.

Espero que essas dicas possam auxiliar o seu cão a ter momentos mais confortáveis em ocasiões como Natal, Ano Novo e festas locais.

Início da página
































CUIDADOS EM TEMPO DE MUITO CALOR

Vamos falar um pouquinho sobre os tempos de muito calor e como dar um conforto maior para o seu cão nesses períodos. Os cães também sofrem com as altas temperaturas, assim sendo, os donos devem redobrar a atenção com seus cães nesses períodos para evitar a hipertermia e insolações. Cães com pelos longos e escuros também precisam de mais atenção.

  • Não deixe de levar seu cão para passear, mas fique atento se existem árvores ou locais com sombra onde o cão possa se abrigar para um descanso. Na praia, não esqueça do guarda-sol ou do chapéu-de-sol especial para cães;
  • Nunca deixe seu cão dentro do carro sozinho. A elevação rápida da temperatura interior do automóvel é praticamente uma sentença de morte para os cães;
  • Obviamente ÁGUA FRESCA é indispensável para seu cão. Se o passeio for muito longo, leve água para ele e certifique-se de que a água não estará quente na hora de servir. Em casa, você pode colocar algumas pedras de gelo na água dele ou até mesmo dar gelo para ele se distrair e se refrescar;
  • No caso de ser necessário o uso de focinheira, jamais utilize a focinheira que fecha a mandíbula do seu cão. Os cães fazem sua regulagem de temperatura através da respiração, se ele não puder abrir a boca para essa termoregulagem, com certeza ele vai sufocar;
  • Evite passeios nas horas de mais calor, saia para passear logo cedo ou mais à noite quando a temperatura vai estar um pouco mais baixa e a incidência do sol não será tão grande;
  • Cães com focinhos curtos, como por exemplo, Pug e Buldoque Francês, têm mais dificuldade para respirar, principalmente em temperaturas bem elevadas;
  • Manter a pelagem mais curta, principalemte para cães de pelos longos ou pretos, ajuda a minimizar o calor. Cães de pelagem clara podem precisar de protetores solares próprios para cães;
  • Ventilador é um bom aliado;
  • Cães com sobrepeso e obesos sofrem mais nas épocas de intenso calor pois a camada de gordurinha adicional atua como isolante térmico com o exterior;
  • Geralmente os cães vão procurar um lugar mais fresco para se deitarem, até podem evitar as caminhas com as cobertas costumeiras. Deitar diretamente no piso, piso cerâmico, cavar buracos na grama e deitar dentro, áreas de sombra, serão as preferências dele durante o verão.

Início da página


©Copyright Espaço do Cão 2003-2018 - Todos os direitos reservados -- Website Powered by eXtreme Internet